Células Tronco: uma realidade acessível.

Pense na situação onde você pode reparar qualquer tecido ou órgão danificado, regenerando a partir de uma reserva de células do seu corpo. Certamente seria a terapia definitiva para muitas doenças, resultando em uma qualidade de vida muito melhor. Ficção? Não mais.

Com o desenvolvimento das pesquisas com células tronco, isso já está cada vez mais próximo, inclusive com pesquisas em fase teste em humanos e protocolos clínicos já aprovados.

As células-tronco adultas podem ser classificadas em dois grupos: hematopoiéticas e mesenquimais. As hematopoiéticas estão presentes no sangue e tem o potencial de se diferenciar em células de linhagem sanguínea (hemácias e leucócitos). Elas podem ser coletadas do cordão umbilical ou da medula óssea, e possuem capacidade de diferenciação apenas em células do sangue. Ainda não é possível expandir (ou multiplicar) essas células em laboratório, por isso, o número de células coletadas é o número que estará disponível para uma eventual terapia.

Já as células mesenquimais estão presentes nos tecidos sólidos do corpo (ou seja, tudo que não é sangue). Elas têm o nome de mesenquimais porque sua origem é o mesênquima, um dos tecidos presentes no embrião a partir da terceira semana de gestação. Células-tronco mesenquimais têm o potencial de originar tecidos sólidos, incluindo cartilagem, osso, gordura e músculo, entre outros. Os protocolos para isolamento e expansão são consolidados, sendo possível, portanto, aumentar em laboratório a quantidade de células disponíveis para uma eventual terapia. Se considerarmos que na dentição decídua temos 20 dentes, e nossos dentes ficam expostos em um local aberto ao meio externo (boca), podemos dizer que a obtenção de células dentais é de fácil acesso, não traumática e que temos numerosas oportunidades de coleta. Essas vantagens já foram percebidas pela comunidade científica e as pesquisas com células dentais para regeneração tecidual não só de órgãos dentais têm acontecido intensamente.

Assim, evidências científicas já demonstraram que células tronco de origem dental poderão no futuro, melhorar a qualidade de vida de pessoas portadoras de Alzheimer, auxiliar na regeneração neural e de retina, atuar positivamente no tratamento ortopédico, auxiliar o reparo cicatricial de patologias ou mesmo atuar na síntese de insulina para o tratamento de diabetes.

Fontes: Anuário 01 Odontopediatria Clínica e Rc Crio.

Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2023 by Mums Tums and babies. Proudly created with Wix.com

Siga-nos
  • Google+ Black Round
  • Facebook Black Round
  • Instagram Black Round